30
jul
10

O que é um pulsar?

Por serem basicamente a mesma coisa, para entendermos o que é um pulsar é preciso primeiro entendermos o que é uma estrela de nêutrons.

ESTRELA DE NÊUTRONS

Estrelas de neutrons se formam quando grandes estrelas esgotam seu combustível e colapsam. É um dos possíveis fins de uma estrela massiva. Para obter uma estrela de nêutrons, é preciso ter estrela que é maior do que cerca de 1,5 massas solares e que tenha menos de 5 vezes a massa do sol. Se você tiver menos de 1,5 massas solares, você não terá o material e a gravidade necessários  para comprimir o objeto suficientemente. Você  terá,então, apenas uma anã branca. Isto é o que vai acontecer com nossos próprio sol um dia.
Se você tiver mais de 5 vezes a massa do Sol, sua estrela é muito massiva e vai acabar como um buraco negro.
Mas se a sua estrela estiver mesmo entre essas massas, acontecerá uma explosão de supernova.Essa explosão ejeta as camadas externas da estrela formando uma linda supernova remanescente e a região central da estrela então se comprime sob a intensa ação da gravidade . Ela se comprime tão intensamente que os prótons e os elétrons dos átomos se combinam formando nêutrons, como se fosse apenas um simples núcleo atômico gigantesco. Forma-se assim uma Estrela de Nêutrons.  Como a estrela ainda tem muito da gravidade, qualquer material adicional que venha a cair na estrela de nêutron é super-acelerado pela gravidade e transformado em material de nêutron idêntico.

Estrela de Nêutrons

http://www.deducoeslogicas.com/fisica/buraco_negro.html

Uma estrela de nêutrons é tão densa que na Terra, uma colher de chá dela pesaria um bilhão de toneladas! Devido ao seu pequeno tamanho e alta densidade, uma estrela de nêutrons possui uma superfície de campo gravitacional de aproximadamente 2 x 1011 vezes o da Terra. As estrelas de nêutrons também podem ter campos magnéticos um milhão de vezes mais forte do que os mais fortes campos magnéticos produzidos na Terra.

Estrelas de Nêutron tem um movimento rotacional, um spinning Elas giram muito rápido, atingindo quase a velocidade da luz. Quando isto ocorre temos um pulsar.

PULSAR

Um pulsar, portanto, nada mais é do que uma estrela de nêutrons em rotação. Por apresentarem este movimento elas parecem “pulsar”,  além disso emitem de seus pólos magnéticos  jatos de partículas que produzem  poderosos feixes de luz.

Os pulsares foram descobertos em meados de 1967 por Jocelyn Bell Burnell como fontes de rádio que piscavam numa freqüência constante.  Hoje em dia é possível observá-los em quase todos os comprimentos de onda.

Assim  como ocorre na Terra, os pólos magnéticos dos pulsares são desalinhados, então os feixes de luz varrem o espaço a seu redor à medida que o pulsar gira, como acontece com o holofote de um farol . Da mesma forma que de um navio no oceano se vê flashes regulares de luz, vemos os pulsares acenderem e apagarem à medida que o feixe de luz varre nosso planeta. Alguns pulsares emitem raios X.

Abaixo vemos a famosa Nebulosa do Caranguejo, num indiscutível exemplo de uma estrela de nêutron formada durante uma explosão de supernova. A supernova foi observada em 1054 D.C. Estas imagens mostram a emissão difusa da Nebulosa do Caranguejo envolvendo o pulsar em estado “on” e “off” representando quando o pólo magnético está e não está na linha de visão a partir da Terra.

Nebulosa do Caranguejo: pulsar OFF

Nebulosa do Caranguejo: pulsar ON

Nebulosa do Caranguejo: pulsar ON

Pulsar detectado pelo Observatório de Raio X Einstein

No vídeo abaixo ouvimos o som do pulsar na nebulosa do caranguejo. É fantástico!

http://imagine.gsfc.nasa.gov/docs/science/know_l1/pulsars.html

http://an.locaweb.com.br/Webindependente/ciencia/estrelasdeneutrons.htm

http://heasarc.gsfc.nasa.gov/docs/objects/heapow/heapow.html

Na imagem acima vemos partículas carregadas aceleradas pelo intenso campo eletromagnético de um pulsar PSR B1509 -58. Esse pulsar, uma estrela de nêutrons girando rapidamente, está localizado perto do ponto branco intenso perto do centro da imagem. Como a estrela de nêutrons gira, ela acelera partículas carregadas para fora no espaço, formando (por alguma razão não totalmente esclarecida)” dedos de vento de pulsar” que se alongam para a parte superior da imagem. Nas pontas dos dedos encontra-se uma nuvem de emissão de Raios X chamado RCW 89, alimentada  pela energia transferida do vento do pulsar. Além da Nebulosa do Caranguejo, PSR B1509-58 é um dos melhores exemplos que os astrônomos já obtiveram da interação entre essas nebulosas pulsar do vento e do ambiente estelar.
(Publicado em: 26 de julho de 2010)

About these ads

20 Responses to “O que é um pulsar?”


  1. 1 El Tucu
    janeiro 18, 2011 às 7:17 pm

    Parabéns pela matéria, conseguiu me sanar as dúvidas que tinha a respeito de uma estrela de neutrons.

  2. 4 José Marques
    dezembro 4, 2012 às 11:29 am

    Parabéns pelo site! Simplesmente fantástico, sem contar a a particularidade ímpar de quase sempre traduzirem conceitos outrora sempre achados em inglês em outros sites do mesmo gênero!

    • 5 deniseselmo
      dezembro 4, 2012 às 12:24 pm

      Ola Jose
      Muito Obrigada pelas palavras de apoio e incentivo. A minha proposta é justamente trazer para o português “brasileiro”, textos, termos e expressões em inglês para os amantes e estudiosos da astronomia como nós. Sinta-se sempre à vontade para fazer críticas e sugestões. Sou a única responsável por esse blog.
      Um abraço
      Denise

  3. 7 Ricardo Willy Kloss
    fevereiro 9, 2013 às 4:43 pm

    Considerando a trilha sonora do video serem audio-frequencias, que não se propagam no vácuo, pergunto: de que maneira foi obtida a trilha sonora ?

    • 8 deniseselmo
      fevereiro 11, 2013 às 3:50 pm

      Ola, Ricardo
      Os sons vindos de pulsares são captadas em frequências de rádio e o que estamos ouvindo na verdade são a intensidade e frequência seus pulsos, não seu som.
      Denise

  4. 9 Ricardo Willy Kloss
    fevereiro 11, 2013 às 5:49 pm

    Cara Denise, salvo algum êrro de grafia, a explicação não me faz sentido.
    Intensidade é corrente elétrica ( talvéz se refiram a amplitude) e pulsos não correspondem ao espectro da trilha sonora, que mais se asemelha a um ruido branco, não estou afirmando que seja. Que apénas possa se tratar da demodulação de ondas eletromagnéticas em uma banda de rádio-frequências, é ponto pacífico, porém que espécie de modulação foi demodulada, em amplitude, frequência, pulsos, fase, ou outra, e como essa modulação se processou na fonte de origem dos sinais ?
    Seria interessante saber a origem da trilha sonora do video, e como foi obtida.
    Trabalhei com micro-ondas e computadores, já há 55 anos atrás, dai o meu interesse.
    Atenciosamente,
    R.W.Kloss

  5. 10 Ricardo Willy Kloss
    fevereiro 11, 2013 às 9:10 pm

    Prezada Dra. Denise, desculpe, parece que acima me expliquei mal.
    No caso dos sons de Jupiter, a NASA afirma que instrumentos da nave fizeram a gravação “em-loco”, de pulsos de 20 à 20 KHz, que foram enviados à Terra.
    É óbvio que tal não foi o caso na gravação dos sons do Pulsar da Crab Nebula.
    O que pergunto é, qual o processo utilizado nêsse último caso.
    Deve ter sido um Rádio-Telescópío sontonizado em alguma fraquência determinada e usando um determinado sistema de demodulação, ou coisa parecida.
    É isso que eu gostaria de saber.
    Agadecido.
    R.W.Kloss

  6. 11 deniseselmo
    fevereiro 11, 2013 às 9:19 pm

    Ola Ricardo
    Achei esse link que acho que responde à sua questão. Realmente é uma questão muito interessante na qual não tinha parado para pensar. Por favor, comente depois de ter lido. Se ainda não for suficiente buscarei outras fontes até que tenhamos uma resposta que nos atenda.
    Obrigada
    Denise

  7. 13 Ricardo Willy Kloss
    fevereiro 12, 2013 às 12:21 am

    Fantástico, muito obrigado, preciso digerir tudo isso com calma, mas, esclarece sim,a minha dúvida.
    Pelo que entendi, trata-se da frequência fundamental ou de seus harmônicos, da rotação do Pulsar.
    Outrossim, abstraindo a transformada digital, o meu espectro de áudio, coincide perfeitamente com os exemplos de sinais do início do artigo em questão.
    Portanto não há uma modulação propriamente dita, da rádio onda, e sim esta chega em pulsos.
    A coisa mais próxima disso seria um telégrafo emitindo pulsos de rádio-frequência pura, em uma sequência de pontos, ou então traços, num período que cai dentro do espectro de ondas sonoras.
    Resultando em algo similar a um gerador dr áudio.
    Bingo.
    R.W.Kloss

  8. maio 7, 2013 às 4:38 pm

    Hi there, I enjoy reading all of your article.

    I wanted to write a little comment to support you.

  9. junho 30, 2013 às 6:00 pm

    Pode -se então dizer que um pulsar é a mesma coisa que uma Nebulosa só que em rotação ?

    • 18 deniseselmo
      junho 30, 2013 às 7:27 pm

      Ola
      Não Karolayne. Um pulsar é uma ESTRELA DE NEUTRONS (fase final de um tipo de estrela) que rotaciona em grande velocidade. O pulsar nada tem a ver com nebulosas.
      Denise


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 947 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: