14
jul
10

Desvendando o mistério do nascimento de estrelas massivas

fonte: http://www.eso.org/public/news/eso1029/?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed:+EsoTopNews+(ESO+Top+News)

Adaptado

Todas as estrelas nascem da mesma maneira

Astrônomos obtiveram a primeira imagem de um disco de poeira que rodeia uma estrela bebê gigante, fornecendo uma evidência direta de que estrelas maciças se formam do mesmo modo que suas irmãs menores.

Nossas observações mostram um disco ao redor de uma estrela embrionária maciça que agora está completamente formada“, diz Stefan Kraus, que liderou o estudo. “Pode-se dizer que o bebê está prestes a nascer!”

A equipe de astrônomos observaram um objeto conhecido pelo nome enigmático de IRAS 13481-6124. Cerca de vinte vezes a massa do nosso Sol e cinco vezes o seu raio, a jovem estrela central, que ainda está cercada pelo seu casulo pré-natal, está localizada na constelação de Centauro, a cerca de 10.000 anos-luz de distância da Terra.

A partir de imagens de arquivo obtidas pelo Telescópio Espacial Spitzer da NASA, bem como a partir de observações feitas com o telescópio APEX , os astrônomos descobriram a presença de um jato.

Esses jatos são comumente observados em torno de estrelas jovens de baixa massa e geralmente indicam a presença de um disco“, diz Kraus.
Discos circumestelares são um ingrediente essencial no processo de formação de estrelas de baixa massa como o nosso sol. No entanto, não se sabe se esses discos estão também presentes durante a formação de estrelas que sejam mais maciças do que cerca de dez massas solares, onde a forte luz emitida pode impedir que a massa incida sobre a estrela.

“Esta é a primeira vez que conseguimos obter a imagem de regiões do interior do disco ao redor de uma estrela massiva jovem“, diz Kraus. “Nossas observações mostram que a formação funciona da mesma maneira para todas as estrelas, independentemente da massa”.
Os astrônomos concluiram que o sistema é de cerca de 60 000 anos, e que a estrela atingiu a sua massa final. Por causa da luz intensa da estrela – 30 000 vezes mais luminosa que o Sol – o disco em breve começará a evaporar. O disco queimado se estende a cerca de 130 vezes a distância Terra-Sol – ou 130 unidades astronômicas (UA) – e tem uma massa semelhante à da estrela, cerca de vinte vezes a massa do Sol. Além disso, as partes internas do disco são mostraram ser desprovidas de poeira.

IRAS 13481-6124 e seu "berço"

Crédito das fotos: ESO/Spitzer/NASA/JPL/S. Kraus
Anúncios

3 Responses to “Desvendando o mistério do nascimento de estrelas massivas”


  1. 1 david do carmo
    julho 15, 2010 às 3:45 pm

    boa tarde!!! a sabedoria tem seus propositos e direcionados á pessoas com merecimentos que só DEUS permite,e como a ciencia está sempre junto da sabedoria de DEUS,digo-lhe que tem o seu tb.
    parabens por seus conhecimentos e gostaria de aprender muito mais com vc.
    por favor se tiver mais materiais no assunto por favor me mande que vou aprender muito.
    grato

    • 2 deniseselmo
      julho 15, 2010 às 10:27 pm

      Obrigada pelas lindas palavras de incentivo, David. Estou sempre postando sobre evolução estelar. Torne-se seguidor do blog e será sempre avisado quando houver novas postagens.
      Thanks
      Denise


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: