17
jul
10

Henrietta Leavitt

Julho é o mês de nascimento de Henrietta Leavitt, um grande nome da Astronomia.

Para muitos ela é a heroína que Caroline Hershel representa para mim. Realmente, a relevância de seu trabalho é enorme por ter aberto portas para importantíssimas descobertas sobre nosso Universo. Obstinada, dedicada e extremamente habilidosa- esta era Henrietta Leavitt – cuja biografia adaptei resumidamente a seguir.

Este post é especialmente dedicado a Francisco Conte e Márcio Ribeiro.

Henrietta Leavitt

Henrietta Swan Leavitt nasceu em 4 de Julho de 1868 em Lancaster, Massachussets  e sempre se interessou por ciência. Ela  inventou uma das normas mais importantes no estudo do espaço: a regra que permite que astrônomos possam medir distâncias da Terra para várias estrelas.


Ainda criança, sua família se mudou para Cleveland, Ohio. Leavitt ingressou no Oberlin College e em 1892 formou-se na Sociedade de Instrução Colegiada para as Mulheres, agora conhecido como Radcliffe College. Ela viajou pela América e pela Europa período durante o qual perdeu a audição. Três anos após a graduação, tornou-se um assistente de pesquisa voluntária no Harvard College Observatory chefiado por Edward Charles Pickering (1846-1919),entrando para o grupo de mulheres que ficou conhecido como” Harvard Computers” (Computadores de Harvard) ou “Pickering’s Harem” (O hárem de Pickering)

OS Computadores de Harvard

Por ser mulher, Leavitt não foi levada muito a sério por Pickering na época o maior especialista do mundo em fotometria fotográfica (determinação da magnitude de uma estrela a partir de sua imagem fotográfica). Ele atribuiu a ela a tarefa tediosa da catalogação de estrelas variáveis, cujo brilho parece aumentar e diminuir em padrões previsíveis.

Ao examinar as Nuvens de Magalhães ( galáxias vizinhas da Via Láctea), Leavitt descobriu 1.777 estrelas variáveis novas. Mais importante ainda, em 1912, comparando fotografias diferentes da mesma estrela variável, Leavitt descobriu que as estrelas do tipo “Cefeidas” tem períodos do ciclo de seu brilho inversamente proporcional à sua magnitude. Ou seja, quanto mais forte o brilho da estrela, mais lento é seu ciclo.

Leavitt percebeu que os ciclos das estrelas variáveis não devem depender de sua luminosidade aparente, mas de sua luminosidade intrínseca.

Então, ela construiu uma relação período-luminosidade que se aplica a todas as cefeidas. Esta relação permitiu aos astrônomos medirem a distância da Terra a qualquer estrela cefeida visível no universo.

Gráfico feito por Henrietta Leavitt em 1912

Pickering não permitiu que Leavitt desse seguimento a sua descoberta revolucionária, e continuou a tratá-la como uma mera assistente de laboratório.

Os resultados de Leavitt foram usados por cientistas como Ejnar Hertzsprung para medir distâncias de estrelas, Harlow Shapeley, para medir o tamanho da Via Láctea e Edwin Hubble para determinar a idade do Universo e contribuíram significantemente para o desenvolvimento da Astrofísica e da Cosmologia permitindo o mapeamento do universo, bem como a descoberta de que ele está em expansão, o que fez dela uma lenda na história da astronomia.

Leavitt morreu em 21 de dezembro de 1921 de cancer. Durante sua vida descobriu mais de 1.200 estrelas variáveis , metade de todas conhecidas até sua morte. Não há como saber que outras contribuições teria feito à Astronomia se não tivesse morrido tão cedo.

Anúncios

0 Responses to “Henrietta Leavitt”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: