20
nov
10

Anti-hidrogênio detectado.

O desafiador campo da física de partículas… No CERN, em Genebra esta semana, físicos anunciaram a detecção de anti-hidrogênio. Sim, exatamente o que você está pensando: produziram antimatéria!

A seguir o artigo escrito por Hamish Johnston editor da physicsworld.com. O texto é ADAPTADO.

Tentei tornar o texto o mais objetivo possível, mas o assunto é denso e de difícil compreensão como tudo o que envolve a física de partículas.

Este post é especialmente dedicado a Ricardo Rechi

Armadilha para anti-hidrogênio sendo montada

CERN

 

Físicos no Cern em Genebra são os primeiros a capturarem e armazenarem átomos de antimatéria tempo suficiente para estudar suas propriedades em detalhe. A equipe conseguiu capturar 38 átomos de anti-hidrogênio por aproximadamente 170 micro segundos. O próximo passo para os pesquisadores é medir o espectro de energia dos átomos, que pode fornecer pistas importantes sobre porque há mais matéria do que antimatéria no universo.

O anti-hidrogênio é a versão antimatéria do átomo de hidrogênio e inclui um pósitron – ou antielétron – e um antipróton. De acordo com o Modelo Padrão da física de partículas, os níveis de energia do anti-hidrogênio devem ser idênticos ao do hidrogênio. Qualquer desvio poderia levar os físicos à descoberta de uma nova física.

Embora criar pósitrons e antiprótons seja relativamente fácil, fazer anti-hidrogênio é muito mais difícil. Essa formação de antimatéria não foi isolada até 1995 – também um experimento no CERN. Fazê-lo permanecer tempo suficiente para ser estudado em detalhe é ainda mais difícil.

(Os primeiros átomos de anti-hidrogênio haviam sido produzidos sete anos atrás, mas tinham velocidade quase igual à da luz e duravam poucos bilionésimos de segundo, antes de se destruírem em colisões. Isso era insuficiente para fazer medidas com eles (http://www.jornaldaciencia.org.br/Detalhe.jsp?id=4818/). Ao Capturarem os átomos de anti-hidrogênio por 170 ms, os membros do ALPHA podem prosseguir no estudo de seus níveis energéticos.

Nuvens de Colisão

O experimento começa fazendo-se uma nuvem de pósitrons e uma de antiprótons. Os antiprótons são criados no acelerador a partir da colisão de prótons de alta energia com um alvo estacionário. Os antiprótons são então desacelerados e resfriados numa série de etapas envolvendo um anel de estocagem e armadilhas eletromagnéticas. Os pósitrons são produzidos por fonte radioativa e então acumulados e resfriados em uma armadilha especial.

As nuvens são injetadas na armadilha magnética supercondutora, onde são misturadas por aproximadamente 1s para criar anti-hidrogênio. Os pósitrons e antiprótons carregados são então ejetados da armadilha, deixando para trás anti-hidrogênio neutro. Enquanto a maioria do anti-hidrogênio se move rápido demais para ser capturado, átomos com energia cinética muito pequena são retidos pelo gradiente (taxa de variação) do campo magnético. Os pesquisadores então detectaram os átomos ao desligarem a armadilha deixando os livres para se aniquilarem com a matéria circundante. Isso criou várias partículas carregadas.

Por razões que não compreendemos ainda, a natureza excluiu a antimatéria. Assim, é muito gratificante, olhar para o dispositivo ALPHA e saber que ele contém átomos estáveis, neutros de antimatéria”, disse o porta-voz Jeffrey ALPHA Hangst da Universidade de Aarhus, na Dinamarca.” Isto nos inspira a trabalhar mais para ver se a antimatéria tem algum segredo. “
O trabalho é descrito na revista Nature doi: 10.1038/nature09610.

Veja no vídeo abaixo, a explicação do processo. Mesmo em inglês é possível entendê-lo.

Fonte: http://physicsworld.com/cws/article/news/44343

 

 

 

Anúncios

3 Responses to “Anti-hidrogênio detectado.”


  1. novembro 20, 2010 às 11:39 pm

    Boom em primeiro lugar gostaria de expressar aquei minha profunda adimiração por este blog ele é simplismente demais..e tbm parabenizar vc Denise autira do blog!!
    Gostei muito dessa postagen sobre anti-hidrogenio oque gostaria mesmo de entender é como sao formados particulas de anti-próton e anti-elétron??
    ainda sou nova no assunto mas sou completamente apaixonada pela astrofísica e astronomia tudo que diz respeito aos estudos do cosmos no geral!!
    poderia por gentileza ajudar me a entender como funciona esse processo Denise?
    desde de já agradeço pela atenção!!

  2. 2 deniseselmo
    novembro 21, 2010 às 1:11 am

    Ola, Aline!
    Muito Obrigada por suas palavras tão carinhosas, Aline!

    Aline, a física de partículas é fascinante mas bastante complicada.

    Vamos combinar uma coisa: Me dê uns dias e vou preparar, com muito carinho, um post sobre as antipartículas, ok? Assim respondo a você e a outras pessoas com dúvida semelhante.
    Mas só pra você ter um aperitivo:
    A cada partícula fundamental, corresponde outra partícula com mesma massa e spin só que com a carga OPOSTA. Até há bem pouco tempo eram consideradas teoria apenas, mas com os modernos aceleradores de partículas, especialmente o LHC, começam a ser detectadas. No entanto não devemos nos precipitar – tudo está ainda muito no começo e ainda há muito o que descobrir sobre elas.
    Mais uma vez, thank you sooooooooooooooooooo much! E me aguarde!
    Kiss
    Denise


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: