17
jan
11

O Sistema Solar

credito: NASA

É comum ao nos depararmos com o termo “Sistema Solar”, pensarmos apenas no Sol e nos planetas que o orbitam. No entanto, não são apenas os planetas e seus satélites que compõe o  Sistema Solar.  Na verdade ele é o conjunto de astros que estão sob a influência gravitacional do Sol e essa influência se estende por muito além dos planetas que conhecemos.

E por falar em planetas….Bem, todos sabemos o grande debate que resultou na nova classificação de Plutão e de outros astros como “Planetas anões.” Assim, hoje contamos com uma configuração diferente do que os livros didáticos normalmente traziam sobre o Sistema Solar e tenho recebido muitas perguntas e pedidos para escrever sobre o “novo sistema solar”

Em 24 de Agosto de 2006, a IAU (International Astronomical Union) votou ao final de sua 26ª assembléia pela definição de 3 classes de objetos subestelares no Sistema Solar: Planeta, planeta-anão e corpos menores do Sistema Solar.

Neste post falo sobre a mais recente configuração do Sistema Solar aceita pela IAU, mas já aviso: Nada impede que em pouco tempo tudo mude outra vez, como tem sido comum nesses novos tempos na Astronomia!

SISTEMA SOLAR

O sistema solar é composto pelo sol e pelos objetos que estão sob a influência de sua força gravitacional, a saber: 8 planetas, pelo menos 3 planetas anões, mais de 130 satélites planetários (mais satélites podem ainda ser descobertos), um grande número de corpos menores como cometas e asteróides e o meio interestelar.

Satélites do planeta solar

NASA

O sol, uma estrela do tipo G2 da sequencia principal é o principal astro do sistema e é  responsável por 99,86 por cento de sua massa , o restante é praticamente toda composta pelos planetas que o orbitam.

Distribuição provável de massa no Sistema Solar

Sol: 99.85%
Planetas: 0.135%
Cometas: 0.01% ?
Satélites: 0.00005% ?
Planetas anões: 0.0000002% ?
Meteoroides: 0.0000001% ?
Meio interestelar : 0.0000001% ?

http://www.planetsalive.com/?planet=Main&tab=B

PLANETAS

Os oito planetas a partir do sol são Mercúrio, Vênus, Terra, Marte Júpiter, Saturno, Urano e Netuno. Esse grupo é comumente dividido em planetas rochosos e gasosos.

  • Planetas rochosos( também chamados de telúricos) são compostos de rochas e metal e tem densidades relativamente altas, rotação mais lenta, superfícies sólidas,não possuem muitos satélites e não apresentam um sistema de anéis. Os planetas rochosos são Mércúrio, Vênus, Terra e Marte.
  • Planetas gasosos são compostos basicamente de hidrogênio e hélio e tem densidades baixas, rotação rápida, atmosferas profundas,núcleo rochoso, sistema de anéis e muitos satélites. Os planetas gasosos são: Júpiter, Saturno, Urano e Netuno.

CINTURÃO DE ASTERÓIDES

Entre Marte e Júpiter existe um cinturão de asteróides, corpos que orbitam o sol, tem composição semelhante a dos planetas rochosos, mas são muito pequenos para serem considerados planetas ou mesmo planetas anões.

Esses corpos estão sob a potentíssima influência da força gravitacional de Júpiter e  do Sol e não conseguem vencê-las para que possam se aglutinar e formar um corpo de maior dimensão.

Região do Cinturão de Asteróides

CINTURÃO DE KUIPER

A área além de Netuno é ainda precisa ser muito explorada, é normalmente chamada de área trans-netuniana. A primeira região dessa área é conhecida como Cinturão de Kuiper – um grande anel de detritos, semelhante ao cinturão de asteróides, mas composto basicamente de gelo e muito maior. Acredita-se que essa região seja a origem dos cometas de período curto, como o cometa Halley. Apesar de ser composto por muitos corpos pequenos é possível que muitos dos maiores astros do cinturão de Kuiper venham a ser reclassificados em breve como planetas anões.

Cinturão de Kuiper e Cinturão de Asteróides

Planeta-anão

Um planeta anão é um corpo celeste muito semelhante a um planeta, que orbita em volta do Sol e tem gravidade suficiente para assumir uma forma com equilíbrio. No entanto, não possui uma órbita desimpedida. Assim, como os outros 8 planetas maiores, os planetas anões são massivos o bastante para terem uma forma arredondada, também orbitam o sol, no entanto não conseguiram limpar a região que orbitam de outros astros de tamanho similar.

Meteoroides

Os meteoroides são astros com dimensão entre 50 metros até partículas tão pequenas como pó. Astros maiores que 50 metros são conhecidos como asteroides. Não há ainda um consenso sobre como distinguir a dimensão máxima de um asteroide e mínima de um planeta. Um meteoroide que atravesse a atmosfera da Terra passa a se denominar meteoro; caso chegue ao solo, chama-se meteorito. Veja abaixo o momento em que um meteoro entra na atmosfera terrestre.

Cometas

Cometa McNaught. Fonte:http://www.meteopt.com/forum/

Cometas  são corpos pequenos (normalmente tem apenas alguns kilômetros de diâmetro) compostos basicamente de gelos voláteis que possuem órbitas altamente excêntricas, que tem seu periélio( quando mais se aproximam do sol) na região dos planetas rochosos e seu afélio ( quando estão mais distantes do sol) muito além de Plutão. Quando um cometa se aproxima do sol, sua superfície de gelo começa a sublimar, criando uma coma, uma longa cauda de gás e poeira que é muitas vezes visível a olho nu, tornando-se um dos mais belos objetos observados no céu. 

Há dois tipos de cometa: O cometa de período curto, cuja órbita dura menos de 200 anos e  o cometa de período longo, cuja órbita pode chegar a milhares de anos. Os cometas mais antigos, que perderam sua camada de gelo volátil devido às várias passagens pelo sol, são classificados como asteróides.

Acredita-se que os cometas de período longo tenham origem num local chamado Nuvem de Oort.

Nuvem de Oort

Em 1950 Jan Oort, astrônomo dinamarquês, propôs que os cometas viriam de uma grande nuvem,  uma casca esférica que como uma concha envolve todo o Sistema Solar , e teriam sido impulsionados para ele como conseqüência de uma perturbação gravitacional causada pela passagem de uma estrela pelas proximidades. A hipótese da nuvem ou depósito de Cometas é hoje amplamente aceita.Após ter estudado a distribuição e o movimento das estrelas da Via-Láctea, em 1827,de  Oort determinou sua massa total, equivalente aproximadamente a 200 bilhões de massas solares e sua distância do Sol acredita-se ser de aproximadamente 1 ano-luz, mas há muita controvérsia ainda sobre esses dados.

A nuvem de Oort seria o limite de influência gravitacional do sol.

Reforço aqui a informação de que a Nuvem de Oort é ainda uma hipótese e que sua existência ainda não foi confirmada.

Representação artística da Nuvem de Oort.

Fontes de pesquisahttp://www.constelacoes.hpg.ig.com.br/cometas_nuvem_de_oort.htm

.

http://www.solar-system.name/solar-system/comets.html

http://nineplanets.org/overview.html

http://mundoestranho.abril.com.br/ciencia/pergunta_286678.shtm

Anúncios

4 Responses to “O Sistema Solar”


  1. fevereiro 28, 2011 às 6:37 pm

    Parabéns pelas suas postagens, você acaba de ganhar mais um leitor.

  2. 3 amanda
    maio 5, 2012 às 2:53 pm

    esses planetas é radical meu!!!!!!!!!!!!!!!!!!! muito boooooom!

  3. 4 nanda
    maio 21, 2012 às 10:02 pm

    PO, EU QUERIA VER UM DOS PLANETAS DE PERTO. 🙂
    mais e muito legal.kk


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: