Arquivo para julho \18\UTC 2012

18
jul
12

Missão Apollo 11: 43 anos

Há 43 anos, no dia 16 de julho de 1969, a Apollo 11 deixava a Terra como a primeira missão tripulada a pousar na Lua. A missão, como sabemos, levava  Neil Armstrong, Michael Collins e Edwin “Buzz” Aldrin. No dia 20 de julho de 1969, o mundo viu maravilhado as imagens da chegada do homem à Lua. Para celebrar essa semana, posto aqui dois vídeos: um do lançamento da Apollo 11 no dia 16 de julho e outro do dia 20 de julho – esse último traz imagens dos astronautas, dos cientistas na NASA e do povo nas ruas, compondo um retrato muito completo do que todos testemunhavam naquele momento.

 Se você,como eu, é fã das missões Apollo e desses três astronautas fantásticos,  reserve alguns minutos para relembrar esses fatos marcantes de nossa história. É emocionante!

O idioma é o inglês, mas as imagens falam por si.

Vídeo1

Vídeo 2

Anúncios
13
jul
12

Mais uma lua descoberta em Plutão

Aconteceu outra vez! Mais uma lua descoberta em Plutão como já acontecera em 2011 e que postei aquiMais um presente do incansável Telescópio Hubble. O texto abaixo foi baseado no artigo sobre o fato publicado pela Scientific American.

 

Cred: Nasa/ESA e M. Showalter (SETI institute)

No ultimo Sábado, dia 07 de julho de 2012 mais uma lua foi descoberta pelo Telescópio Hubble em Plutão. O quinto satélite natural de Plutão foi informalmente batizado de P5.  O satellite foi encontrado em imagens feitas pelo Hubble com o objetivo de identificar possíveis ameaças a sonda New Horizons que está agora se dirigindo a Plutão para sobrevoá-lo em 2015. Até agora nenhuma grande ameaça foi identificada mas a busca já identificou duas novas luas – um pequeno objeto chamado P4, descoberto no ano passado (veja aqui) e agora P5

O brilho de P5 é incrivelmente fraco – metade do brilho de P4, e aproximadamente, um centésimo da brilho de Plutão  o orbita relativamente perto. Seu pouco brilho indica que seu diâmetro deva ser de apenas 10 a 25 kilometros.

P4 and P5  se juntam a  Charon, uma lua grande de Plutão descoberta há 34 anos e a Nix e Hydra, descobertas por astrônomos com a ajuda do Telescópio Hubble em 2005. Todos esses satellites podem ser resquícios de uma colisão gigante acontecida nos primóridios da história do Sistema Solar.

Todas as luas descobertas até agora parecem estar ligadas ao movimento de Chiron, a maior lua: suas órbitas apresentam certa ressonância com o satélite maior. Nix orbita Plutão uma vez a cada órbita de Charon, enquanto que P4 tem uma ressonância de 1 para 5 e Hydra  de 1 para 6. P5 parece apresentar essa ressonância também, por estar muito próximo de Plutão estima-se que a ressonância seja de 1 para 3.

Espera-se que mais luas sejam encontradas com a chegada da New Horizon que poderá ver o que o Hubble não consegue.

Imagem da NASA Sonda New Horizon.